Featured Slider

Eu sei o título, mas não sei o conteúdo

Tantas vezes eu vim aqui para escrever um post e só consegui colocar o título. 

Sempre tenho boas ideias para títulos de textos (daqueles textos mais filosóficos, por assim dizer). Porém eles são apenas o comecinho do desenvolvimento da história que eu iria contar. E o resto, cadê? Simplesmente não sai. Nenhuma gota de criatividade. Nem um resquício de ideia. Fica tudo lá, entalado no limbo da memória e eu sempre perco o fio da meada. 

Quero ler ainda em 2016

Será que ainda dá tempo de ler uma ou outra coisa no resto desse ano? Pois eu não sei, só sei que separei mais três livros que quero tentar ler ainda em dezembro de 2016, se conseguirei aí é uma outra questã

Para isso acabei que fiz um vídeo. Precisava atualizar o canal, precisava fazer esse post; se uni o útil ao necessário (acharam que eu ia dizer agradável né? haha). Provavelmente esse vai ser o único vídeo que irei gravar para as duas páginas. Caso eu mudar de ideia vocês saberão. 

O resto das explicações estão no vídeo abaixo, então. :)



Livros citados:
Nova gramática finlandesa (Diego Marani)
Shakespeare and Company (Sylvia Beach)
Na pior em Paris e Londres (George Orwell)







É uma cilada, Bino (?)

Nunca pensei que iria fazer algo do tipo, mas é, agora em dezembro vai rolar Blogmas aqui no blog!

Miga Michas Borges (que também está fazendo Blogmas) me convenceu, não sei como, pois sou bem relutante em participar desse tipo de projeto (?) porque sei que tenho dificuldade em cumpri-lo. Porém algo me fez repensar e achei que podia/vai ser divertido. Outro motivo que meio que me convenceu foi o fato de eu não ter participado do BEDA. Até fiquei com vontade, mas já era meio tarde demais e eu vi que não ia dar muito certo pra mim. Então acabei desistindo. Por isso quis me "redimir" fazendo algum tipo de especial, pelo menos aqui no blog (no canal ainda não tenho previsão para quando pode rolar um VEDA; talvez um outro VIPS? enfim...).

Aquela dos 30

...ou 30 são os novos 20.

Então, cheguei aos 30. Lembram desse post aqui (do niver ano passado)? Nele eu falava um pouco sobre não gostar de fazer aniversário; dizia como eu tinha (sim, pretérito) problemas para dizer minha idade. Mas aquele post foi escrito porque passei por uma superação: a de não me importar de dizer que idade eu tenho. Por quê? Bom, porque não faz diferença que idade eu tenho fisicamente já que tenho cara de 20 mesmo, pois aqui dentro é o que importa, e eu sou várias versões de mim mesma. E agora com 30 que eu (re)descobri isso.

Taryn Knight: a cute cute illustrator

Taryn por Taryn 
Não lembro exatamente quando comecei a seguir a Taryn no Instagram, mas bem me lembro que foi por causa da hashtag Meet the Artist, que rolou (ou rola sempre?) no Insta ano passado. Como gosto de descobrir artistas, e adoro ver ilustrações bonitas, comecei a segui-la pela arte, que eu achei super fofa e bem feita.